Desemprego, Depressão e Suicídio

 

 

Relação Entre Desemprego, Depressão e Suicídio.

Desemprego, Depressão e Suicídio são três expressões aparentemente antagônicas. No entanto os seus efeitos estão intimamente ligados entre si por uma tênue e invisível linha divisória.

Um estudo recente financiado pela Universidade de Zurique concluiu que o desemprego é o responsável por 20% dos suicídios no mundo.  Segundo este mesmo estudo, em todo período pesquisado entre 2000 a 2011 em 63 países do mundo foram registrados aproximadamente 230 mil suicídios por ano sendo que deste número 20%, ou seja, cerca de 45.000 foram decorrentes do desemprego.

Para a Organização Mundial da Saúde (OMS) o suicídio mata mais de 800.000 pessoas por ano em todo mundo, sendo que deste número aproximadamente 160.000 seria decorrente do desemprego e depressão.

Desemprego

Hoje temos aproximadamente 12.000.000 (doze milhões) de desempregados. Evidentemente que não sabemos, deste numero, quantos morrerão por suicídio provocado pela depressão e desemprego.

Mas, o que sabemos, é que o desemprego bateu forte no Brasil.

O trabalho é um fator preponderante para permitir a maioria das pessoas obter e manter o sustento para si e sua família; Nem todos, porém, tem condições de obter seu sustento trabalhando por conta própria e, portanto dependem do emprego para satisfazer suas necessidades e alcançar seus objetivos traçados.

A demissão, por sua vez, é um momento extremamente delicado, pois em um primeiro lugar provoca no demitido aquela sensação de impotência, de não ser mais útil, de ser substituível, descartável. Este é o momento em que a pessoa fica com sua autoestima muito baixa e daí começa a duvidar de sua capacidade de arrumar um novo emprego.

É possível que após ajuda de parentes e amigos o demitido dá inicio a um estado de euforia sobre as perspectivas que se abrem para mudar de ambiente e a possibilidade de maior ganho e até mesmo procure uma nova área de interesse e estabelecer novos objetivos.

 Depressão

Com o passar do tempo, porém, a escassez do dinheiro, a impossibilidade de suprir a casa, a fome, as lágrimas dos filhos e lamentações da família batem à porta com mais força.

Daí retorna a angustia, a baixa estima e de repente o desempregado se surpreende perdendo o interesse nos assuntos do dia a dia, sem energia para desenvolver outras atividades e opta por ficar mais isolado, alheio aos acontecimentos.

É a depressão chegando…

Como Resolver o Problema das Mortes por suicídios?

Para a morte em si, não existe solução. Entretanto para a morte por suicídio é possível evita-la.

O primeiro passo, porém, para evitar os pensamentos suicidas é fugir do baixo astral, passar a pensar positivamente e desenvolver em si mesmo a crença de que tudo tem solução e que há sempre uma luz no fim do túnel por mais distante que esteja.

O Ministério da Saúde tem um plano de ação denominado “Estratégia de Diretrizes Nacionais de Prevenção do Suicídio”, que inclui 2.128 Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) espalhados pelo Brasil para realizar assistência especializada, com capacidade para 43 milhões de atendimentos por ano.

Segundo o governo, nestes centros, “o paciente recebe atendimento próximo da família, assistência médica e cuidado terapêutico conforme o seu quadro de saúde. O local também prevê a internação quando há orientação médica.”.

Se você tem pensamentos suicidas, comece a mudar seus pensamentos e acreditar que a vida é seu maior bem e que você é capaz de vencer toda e qualquer adversidade. Saia de seu isolamento encare o futuro e acredite que tudo tem solução e que para enfrentar a vida é preciso ter coragem, enquanto que se entregar à morte é um ato de covardia.

Se acerca de seus amigos e procure um dos Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) citado acima.

Como Curar a Depressão?

 

“Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), mais de 350 milhões de pessoas do mundo todo sofrem, em algum grau, de depressão. O transtorno mental, que é mais comum do que podemos imaginar, é caracterizado por tristeza, perda de interesse em toda e qualquer atividade, ausência de prazer, oscilações entre sentimentos de culpa e baixa autoestima” (http://hypescience.com/cura-depressao-curar-depressao/).

Não obstante estarmos tratando da depressão decorrente do desemprego, que no caso, seria uma depressão com uma causa bem específica, ela pode ir assumindo outras características graves a ponto de provocar o suicídio.

Em princípio, a depressão estaria solucionada a partir do momento que o demitido encontrasse um novo emprego. Entretanto, a intensidade da depressão entre o momento da dispensa e a recolocação pode provocar consequências indesejáveis daí a necessidade de buscar forma de como “curar” a depressão.

O primeiro passo é levantar a cabeça e partir para a luta e isto significa QUERER.

Crie uma rotina que lhe permita colocar sua vida em ordem e por as coisas nos trilhos.

Pratique exercícios físicos regularmente;

Tenha uma alimentação saudável.

Mande embora os pensamentos negativos.

Como Conseguir um Novo Emprego?

 

Por fim, conseguir um emprego em época de crise intensa como atravessamos não é fácil para quem não tem uma especialização.

Se você não tem uma profissão, procure tê-la; se você não tem uma especialidade procure se especializar naquilo que você mais gosta;

Comece por fazer um curso profissionalizante. Para isso acesse o link: http://www.cursos24horas.com.br/cursos/recursos-humanos/

Prepare-se para um fazer um Concurso Publico acessando abaixo:

CONHEÇA AS PRIMEIRAS 3 DICAS PARA SER APROVADO EM CONCURSO PÚBLICO

Ou, se preferir, descubra qual é o seu propósito de vida, acessando o link:

AULA 1 – Como aumentar a minha empregabilidade? CLIQUE AQUI

 

Desemprego, Depressão e Suicídio
Rate this post

Não se Deixe Enganar! Conheça seus Direitos.

Washington Luiz Rodrigues

Advogado especialista em Direito do Trabalho e Direito Tributário. Técnico em Contabilidade e sócio da empresa WCA Contabilidade Ltda.

Website: http://www.meusdireitostrabalhistas.com/

2 Comentários

Deixe seu comentário